Passagem sobe duas vezes no ano e patrões jogam a culpa nos rodoviários.

0
378

A passagem de ônibus em Fortaleza subiu 23,67% em 2015. É a maior alta desde 2003!  Em nenhuma capital subiu tanto. Em janeiro subiu 9,09% (de R$ 2,20 para R$ 2,40) e em novembro 14,58% (de R$ 2,40 para R$ 2,75). Enquanto isso, o Presidente da Etufor e o SINDIÔNIBUS, falam na imprensa que a culpa é do salário dos rodoviários. Dá para acreditar?

Se isso fosse verdade, teríamos garantido o mesmo reajuste (+14,58%) em nossos salários para 2016. Alguém acredita nisso? Algum trabalhador realmente acredita que o aumento na passagem, aumentará nosso salário? Isso é o que os patrões querem que pensemos. Nós arrancamos 9,5% de reajuste no salário porque fizemos lutas e greve, não porque a passagem havia subido 9,09% em janeiro.

A patronal não repassa para a categoria o que ela lucra. Ela vive da exploração do nosso trabalho! Eles escondem o que arrecadam e a isenção de impostos que recebem. Então, porque estão culpando o salário do rodoviário pelo aumento da tarifa? Para que a população fique contra nós! Por quê? Para não apoiarem nossas lutas e greves. Eis a verdade!

Não vamos fazer nada?

Estão castigando a população e consequentemente nossas famílias! Esse novo aumento quando os trabalhadores e o povo estão sofrendo com o desemprego que já chega a 8% na Região Metropolitana de Fortaleza, quatro aumentos da tarifa da energia, aumento do gás, quando temos 68% da população endividada com a compra de alimentos, é um castigo para a população, ou seja, nós trabalhadores.

Campanha contra a privatização dos terminais.
Há três semanas o SINTRO iniciou uma campanha contra a proposta do prefeito Roberto Cláudio de privatizar os terminais. Fizemos atos nos terminais explicando à categoria e à população, o prejuízo que teremos. Dissemos que o que estava por trás dessa maracutaia era o aumento da passagem e novas taxas.

A SOCICAM já assumiu e as demissões começaram e vem ataques à categoria. Ainda é possível reverter, basta lutar! A população está contra e revoltada com o aumento da passagem. É hora dos rodoviários convocar a população e estudantes a formar um Comitê Popular contra a privatização, o aumento da passagem e pela estatização do transporte. Transporte não é mercadoria! É um serviço que deve ser público e responsabilidade do estado, está na Constituição. Não pode ser mecanismo de enriquecimento de empresário.