Posição do SINTRO sobre os ataques aos ônibus

0
3231

Fortaleza está vivendo nos últimos dias um grave problema de violência envolvendo os ônibus. A insegurança nos transportes é uma realidade comum principalmente para os motoristas e cobradores.

Só em 2017 ocorreram queima de ônibus em várias capitais brasileiras, como em Vitória (ES), Recife (PE) e Natal (RN). Quem são os autores? Rapidamente os governos e a imprensa responsabilizam o crime organizado, outras versões apontam para as milícias por conta da revogação da prisão preventiva de policiais que estariam envolvidos na Chacina da Grande Messejana. O que podemos afirmar com certeza é que essas ações já produziram vítimas e os rodoviários seguem sendo os mais vulneráveis.

O problema da segurança é agravado com o desemprego em níveis alarmantes. Com as medidas do Governo Temer e do Congresso Nacional, que congelaram os gastos públicos na educação, saúde e segurança por 20 anos com a PEC 55, o cenário tende a piorar. O problema é profundo e certamente não será resolvido com a medida unilateral de aumentar o policiamento.

Enquanto estiverem ocorrendo os ataques os rodoviários não devem ser obrigados a trabalhar sob risco de levarem faltas ou advertências. Os empresários do transporte devem recolher os ônibus para não colocarem em risco a vida dos trabalhadores rodoviários e da população em geral. O SINTRO vem por meio deste comunicado, solicitar ao SINDIÔNIBUS e à ETUFOR o imediato recolhimento da frota até que parem os ataques. Exigimos da prefeitura e do governo do estado que adotem medidas sociais que possam prevenir o crescimento da violência.

A diretoria do SINTRO